top of page
Buscar

Astroguantas: parceria gera “Canção de Existência”

Astronova e Guantas fazem colaboração inédita em música sobre a vida cotidiana do cidadão comum



Por Vinícius Vieira


No penúltimo dia de 2021, fomos surpreendidos com uma parceria que não fazíamos ideia que precisávamos tanto dela, até a mesma existir. Tratava-se do lançamento do single Canção de Existência, que marca a união de dois grupos bem ímpares: de um lado os jundiaienses (SP) do Astronova, com o seu hardcore melódico, com muitas referências do emocore dos anos 2000, enquanto do outro lado, os paulistanos do Guantas, a banda mais festeira do cenário atual, que traz em seu caldeirão sonoro elementos de ska, reggae, country, música latina e até hip-hop. Dessa forma, formando o Astroguantas.


Apesar das diferenças sonoras, a amizade entre as duas bandas vem de longa data, conforme relembra o vocalista e líder do Guantas, o hermano legítimo Nacho Martin: “Eu já conhecia o Junior Costa [baixista do Astronova] desde a época que ele tocava no Gasoline Special”. Nacho também revela que a entrada de um membro no Guantas, vindo da mesma cidade do pessoal do Astronova, estreitou ainda os laços entre os dois grupos: “O Guantas tem um pé em Jundiaí faz muito tempo, pois nosso guitarrista, Gabriel Pereira, é natural da terra da coxinha de queijo. Com a entrada dele na banda, acabamos firmando mais ainda essa amizade com a rapaziada”.


Guantas: Gabriel Pereira (guitarra), Bruno Sawyer (baixo), Kaoei Couto (bateria), Nacho Martin (voz e ukulele), Vini Paludetti (saxofone), André Serrano (trombone) e Pri Ribeiro (trompete)

Dessa amizade, veio o convite para o Guantas participar de um festival virtual, realizado em 2020, no auge da pandemia do novo coronavírus, organizado por dois integrantes do Astronova: “Nós convidamos o pessoal para participar de um festival online, o Levanti Fest, organizado por mim e pelo Junior Costa, e daí pra frente começamos a interagir muito com os caras”, afirma Luís Paulo, guitarrista do Astronova.


Segundo Nacho Martin, a semente, para que fosse realizada uma colaboração entre as duas bandas, foi plantada durante a sua participação no programa Ideia Forte, a live de entrevistas realizada no perfil do Seguimos Fortes no Instagram, durante todo o ano de 2020: “Lá foi sugerido do Guantas fazer uma parceria com alguma outra banda, e na mesma semana fizemos a live Levanti Fest, que era nada mais que o mesmo pessoal da Astronova por trás. Aí relembramos dessa ideia surgida no Ideia Forte e ficamos de fazer uma collab”.


Canção de Existência era uma música que já existia no repertório da Astronova, apesar de não ter sido gravada em nenhum álbum do grupo, sendo de autoria de Luís Paulo: “Ela foi criada em uma versão bem mais rápida, com uma pegada bem hardcore mesmo”, relembra o compositor. Até que em um determinado dia, a banda resolveu tocar a canção de outra forma no ensaio, o que abriu brecha para uma possível colaboração do Guantas: “Alguém falou durante o ensaio ‘porque não transformamos esse som num ska?’, daí chamamos o Guantas, o que realmente combinou bastante com a música”.


Astronova: Jamil Neto (bateria), Luís Paulo (guitarra), Chello Harada (voz), Junior Costa (baixo) e Felipe Sibon (guitarra)

Do outro lado, Nacho recebeu uma gravação de ensaio do Astronova tocando Canção de Existência e já começou a borbulhar as ideias em sua cabeça: “Imediatamente já fiz o rascunho de refrão e das linhas de metais, que eu sempre componho na boca mesmo, fazendo trompete de boca [risos]. Aí mandei para o André Serrano, trombonista da Guantas, e ele se encarregou de escrever corretamente as linhas e arranjos”.


As gravações da música aconteceram de forma dividida, enquanto o Astronova gravou todos os instrumentos, além da voz do vocalista Chello Harada, no Estúdio Eguchi, em Jundiaí. Nacho Martin gravou os seus vocais no Estúdio Paulo B, em São Paulo, enquanto o trio de metais André Serrano, Vini Paludetti e Pri Ribeiro, gravaram as suas partes na própria casa do André. Sendo assim, as duas bandas não se encontraram no estúdio, com exceção do jundiaiense Gabriel Pereira, que gravou as suas guitarras, junto com o pessoal do Astronova: “Ele gravou uma linha de guitarra que deu uma outra cara para a música”, relembra Luís Paulo. A mixagem e a masterização final da música ficou a cargo de Alexandre Chapola no próprio Estúdio Eguchi.


Lançada no dia 30 de dezembro de 2021, em todas as plataformas digitais, via Clichê Records, Canção da Existência traz em sua letra uma história cotidiana, que poderia ser vivida por qualquer cidadão brasileiro: “Realmente imaginamos na letra o dia a dia de uma pessoa comum, que muitas vezes não consegue parar para pensar em mais nada, além de sobreviver. É um tema denso e bem reflexivo, mas que ao ser colocado em uma versão ska, que por si só já deixa o som ‘pra cima’, trouxe um bom estranhamento que agradou bastante as duas bandas”, afirma Luís Paulo.



Projetos futuros


Em 2021, o Guantas lançou o single Memória de Elefante, além de ter participado mais uma vez do programa Estúdio Showlivre. Após o lançamento de Canção da Existência, até mesmo por conta dos recentes aumentos de casos da covid-19, a banda não tem um cronograma definido para 2022: “O Guantas não tem muito planejamento, a gente decide em cima da hora, vai lá e faz”, afirma Nacho Martin, que por sua vez, tem trabalhado em seu projeto solo: “Eu já lancei o single O Tempo, acompanhado do meu brother Nilvo Krauze e produzido pelo Edu Z, e em breve vem o single Deixa eu Amar, produzido pelo casal lindo da Mondo Bizarro, Álamo Leonardo e a Dori Onnez”.


Enquanto a Astronova lançou em 2020, o novo single Sempre Assim, apresentando a nova formação da banda, com a entrada do baterista Jamil Neto, foi produzido um clipe da música que foi exibido no projeto Sons da Terra do Sesc Jundiaí. Mas também por conta da extensão da pandemia, os demais projetos seguem parados: “Durante o período de pandemia, o Astronova realmente deu uma parada nos encontros e nas produções. Até fizemos algumas coisas no digital, produzimos o single Sempre Assim, mas a verdade é que a vida pessoal dos integrantes ficou bem turbulenta com compromissos pessoais. Inicialmente os planos para esse ano são lançar mais projetos com colaborações e de alguma forma tentar contribuir com o cenário que começa a se desenhar nesse ano que promete ser bem complexo”, desabafa Luís Paulo.


Sobre as possibilidades de uma nova colaboração entre Astroguantas, ou até mesmo a gravação de um EP com as duas bandas, as vontades existem dos dois lados: “Sempre gostamos muito do formato de parcerias. Temos mais sons para sair dessa forma e, com certeza, queremos fazer ainda mais, o que pode sim render um EP”, revela Luís Paulo. Já Nacho Martin segue ainda mais otimista: “Meu lema agora é e sempre vai ser ‘nunca diga nunca’ [risos]. Nesses dois últimos anos, nunca fiz tanta parceria com collabs, composições, gravações, filmagens e produções. Não sei nem por onde organizar o tanto de coisa que rolou. Acho que estávamos todos muito carentes de tempo para investir na nossa arte e acredito que ainda pode render, sim, mais alguma gravação, turnê, show, dvd, clipe e o que mais precisar que ‘nóis’ tamo aí sempre”, finaliza.


Ouça abaixo a parceria inédita Astroguantas em Canção de Existência.



53 visualizações0 comentário

ความคิดเห็น


bottom of page