top of page
Buscar

Você precisa ouvir “Loyal Gun” imediatamente

Com a sonoridade fomentada no alternative rock noventista, quarteto paulistano planeja trilogia de álbuns sobre a transitoriedade da vida


Loyal Gun: Raffa Ap. (baixo), Marcelo Muller (guitarra e voz), Bruno Duarte (bateria) e Dija Dijones (voz e guitarra)

Por Vinícius Vieira


Se a sua praia sonora é o rock alternativo dos anos 1990 de Superchunk, Dinosaur Jr., Buffalo Tom, Pixies, Hum, Nada Surf, Lemonheads, Sugar e Foo Fighters - dos primeiros álbuns - você precisa conhecer imediatamente a banda paulistana Loyal Gun.


Surgido em 2012, em São Paulo, o quarteto formado por Dija Dijones (voz e guitarra), Marcelo Muller (guitarra e voz), Raffa Ap. (baixo) e Bruno Duarte (bateria), bebe da fonte do rock alternativo noventista, sendo fortemente inspirado pelo que a banda classifica como os “3S”: Superdrag, Swervedriver e Sunny Day Real Estate, e também pelas bandas nacionais que cantam em inglês, como Pin Ups, Killing Chainsaw, Second Come, Valv, Shed e Mickey Junkies.


Após o lançamento de três singles: Bring Back Your Beat (2015), The Golden Ocean (2015) e Come Back (2017), pelo selo Howlin' Records, foi no ano de 2019 que o Loyal Gun deu início ao seu projeto ambicioso que pretende abordar as diferentes fases da vida humana em uma trilogia de álbuns. Faux Nostalgia (2019), o primeiro volume, é todo calcado na transição da adolescência para a vida adulta. Desde a sua arte gráfica, que estampa na capa branca o desenho de um disco de vinil, sobreposto a um iPhone, refletindo a evolução do consumo de música, o disco entrega canções melódicas, solares e com guitarras distorcidas bem trabalhadas como Going Nowhere, Clever, Can’t Stop Thinking About It, Fairy Tale e Your Company, esta última encaixaria perfeitamente no tracklist do One By One (2002) do Foo Fighters.




Faux Nostalgia foi muito bem recebido no cenário independente e bastante aclamado pela mídia especializada, ocupando a 15º posição dos “Melhores Discos de 2019” do portal Heatwave, e integrando também a lista dos “50 Álbuns Que Você Deveria Ter Ouvido em 2019” do site Hits Perdidos, que também classificou, no ano seguinte, o clipe de Going Nowhere como um dos melhores vídeos musicais de 2020. O disco também foi indicado à categoria de “Melhor Lançamento de Indie Rock” no Prêmio Dynamite de Música Independente, em 2020.




Em 2023, o Loyal Gun lançou a segunda parte da trilogia da transitoriedade da vida: Leitmotif. Se o disco anterior trazia a cor branca, representando o amanhecer e o vislumbre da claridade do dia, Leitmotif vem na cor marsala, representando o entardecer e contextualizando o álbum que aborda o fim da fase adulta e a chamada "crise da meia idade". O título vem de um conceito do compositor alemão Richard Wagner (1813-1883), que consiste no uso de um ou mais temas que se repetem sempre que se encena uma passagem da ópera relacionada a um personagem ou a um assunto. Se a sonoridade de Leitmotif segue a cartilha imposta pelos “3S”, o grupo também incorpora maturidade e densidade nas novas músicas, como é o caso do single Uptight, que traz um lyric video bem inventivo, e também das canções Wrong e How Are You Feeling? que flertam com ecos de pós punk em nuances quase dançantes. Outros destaques do disco são Side By Side, Whereabout e a enérgica Comfort Zone, que poderia ter sido composta por Bob Mould.




O terceiro e último volume da trilogia do Loyal Gun ainda não há nome e nem previsão de lançamento, mas seguirá muito aguardado por aqui. Enquanto isso, ouça Faux Nostalgia e Leitmotif no volume máximo.


Acesse o site oficial do Loyal Gun, e as suas redes sociais, e conheça mais a banda.





16 visualizações0 comentário

댓글


bottom of page